Funcionários do Banco do Brasil obtêm mais uma vitória em ação movida contra o sindicato dos bancários

Apesar de já ter completado oitenta e três anos de idade a Senhora Helena ainda não desistiu de receber pelas horas extras trabalhadas entre 1983 e 1984 quando o Banco Nossa Caixa, agora Banco do Brasil, ainda se chamava Caixa Econômica Estadual: recentemente uma decisão da Cúpula do Tribunal Regional do Trabalho manteve acesa a sua chama de esperança.

A História é longa, mas pode ser resumida em poucas palavras: o Sindicato moveu uma ação para requerer horas extras em favor de seus associados, venceu, mas um expressivo grupo de mais de cinquenta bancários nada recebeu: desconfiados das informações desencontradas dos atendentes e advogados do Sindicato, contrataram o escritório Cristo Constantino & Advogados Associados e descobriram, estarrecidos, que nada receberiam porque o Sindicato não incluíra seus nomes da lista dos sindicaliizados beneficiados. Como não estavam na lista, o juiz não determinou que o Banco lhes pagasse pelas horas extras.

Os advogados ainda tentaram receber o valor devido aos bancários de forma amigável, afinal, o próprio Sindicato reconhecia a condição de associados beneficiários, mas após esperarem alguns meses pela resposta dos dirigentes da entidade sindical perceberam que não haveria outra solução, a não ser outra ação judicial, agora contra o Sindicato dos Bancários.

Os trabalhadores venceram em primeira instância e em segunda instância e recentemente obtiveram mais uma vitória: o recurso apresentado pelo Sindicato dos Bancários, que pretendia levar a discussão à Brasília não foi aceito pela Presidência do Tribunal Regional do Trabalho.

Para Vagner Manoel do Nascimento, responsável pela condução do processo no escritório que venceu a causa esta vitória é especialmente importante porque, ainda que o sindicato apresente outros recursos, isto não impedirá que suas contas bancárias sejam bloqueadas para garantir a satisfação da dívida dos seus credores: não é tudo, mas certamente contribuirá para diminuir a sensação de injustiça e desamparo dos trabalhadores, agora ex-associados do sindicato dos bancários.

Compartilhe este texto nas redes sociais: