A importância da responsabilidade ambiental para os negócios

Empresas de todos os portes descobrem vantagens em adotar práticas de responsabilidade social e sustentabilidade empresarial

Atualmente muito se tem falado em Responsabilidade social e ambiental da empresa, consolidando-se o termo na cultura corporativa brasileira ao longo da década de 90.

Esta nova cultura está associada a ações sociais, transparência administrativa e conduta ética que pode ser sintetizada como uma forma de gestão que respeita as relações com seu público e com meio ambiente, pelo estabelecimento de metas empresariais compatíveis com o desenvolvimento sustentável da sociedade, de forma a preservar recursos ambientais e culturais para gerações futuras, respeitar a diversidade e promover a redução das desigualdades sociais.

A responsabilidade Ambiental pode ser um bom negócio para as empresas. Com a sustentabilidade, alertas de aquecimento global e esgotamento de recursos naturais no centro dos debates mundiais, a empresa que adota uma gestão sustentável assume posição de destaque até nos índices das bolsas de valores como “empresas responsáveis”, já que a BOVESPA, em conjunto com várias instituições (ABRAPP, AMBID, AMPIMEC, IBGC, IFC, INSTITUTO ETHOS e Ministério do Meio Ambiente) criaram um índice chamado de ISE – ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL, que tem por objetivo refletir o retorno de uma carteira composta por ações de empresas com reconhecido comprometimento com a responsabilidade social e sustentabilidade empresarial.

Obter uma classificação no ISE pode trazer muitos benefícios aos acionistas e às suas empresas, pois segundo a Bovespa as aplicações denominadas socialmente responsáveis, demonstram que a lucratividade destas empresas é de longo prazo, por estarem preparadas para enfrentar riscos econômicos, sociais e ambientais, de modo que servem de incentivo e segurança aos acionistas, colocando-as em condição de vantagem sobre as demais.

Podemos ainda destacar como ponto positivo para as empresas o crescimento dos fundos de investimento formados por ações de empresas socialmente responsáveis, principalmente nos Estados Unidos e Europa, refletindo o avanço dessa nova forma de gerir os negócios. Hoje, o empresariado tem interesse de inserir outras metas para sua companhia que não só a lucratividade.

Com isso, as empresas que adotam gestão sustentável, que são socialmente responsáveis, além de mais seguras, estão melhores preparadas para garantir a sua sobrevivência e assegurar a longevidade dos negócios, por estarem sincronizadas com a nova realidade do mundo e que afetam a sociedade e o mundo empresarial.

Débora Ferraz da Costa,
advogada e consultora militante na área de Direito Ambiental e Sustentabilidade

Compartilhe este texto nas redes sociais: